Uma foto, um poema

Velhas Árvores, de Olavo Bilac.

Olha estas velhas árvores, mais belas
Do que as árvores moças, mais amigas,
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas…
O homem, a fera e o inseto, à sombra delas
Vivem, livres da fome e de fadigas:
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E os amores das aves tagarelas.
Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo. Envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem,
Na glória de alegria e da bondade,
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!

Fonte: https://www.pensador.com/olavo_bilac/

Imagem da capa: árvore situada na região do Sossego em Barra do Choça. Crédito:Vera Belinato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *